A mensagem de Muslim Abuumar para o Brasil

No último domingo (23), o Dr. Muslim Abuumar foi deportado do Brasil após uma ação da Polícia Federal coordenada pelo FBI e pelo Mossad. Já da Malásia, país onde mora, Abuumar publicou, na terça-feira (25), uma Mensagem para o Brasil.

Reproduzimos, abaixo, seu texto na íntegra conforma disponibilizado pelo Instituto Brasil-Palestina (Ibraspal):

A MENSAGEM PARA O BRASIL

Por Dr. Muslim Abuumar

Infelizmente, minha curta visita ao Brasil terminou antes de começar, depois que o lobby sionista no Brasil obstruiu a visita de minha família ao meu irmão devido a alegações moralmente falsas e legalmente infundadas.

Esse país, que eu adorava quando o visitei com minha mãe há um ano e meio, agora tenho sentimentos contraditórios que gostaria de compartilhar nesta carta aberta:

Primeiro: Ao ilustre Presidente da República e seu governo

Fiquei profundamente triste com o que aconteceu comigo nos últimos dias, pois minha família e eu fomos impedidos de visitar meu irmão e passar as férias de verão com a família no Brasil, apesar de termos um visto legal emitido recentemente pela Embaixada do Brasil na Malásia e de termos cumprido todos os requisitos e documentos.

O que mais me entristece é o fato de um país grande e independente e soberano como o Brasil ter sucumbido à vontade estrangeira de uma forma que contradiz a própria Constituição brasileira e desrespeita o espírito jurídico brasileiro.

Sabemos que o senhor, Sr. Presidente, lutou durante toda a sua vida para promover o prestígio, a estabilidade e a independência do Brasil, e eu, pessoalmente, assim como muitos jovens e ativistas de todo o mundo, o vemos como um grande exemplo de desenvolvimento, vontade e determinação, apesar dos sérios desafios internos e externos. Portanto, espero que o senhor faça uma análise justa do que aconteceu e tome medidas para manter o Brasil no mesmo caminho de desenvolvimento, guiado pela justiça e pela rejeição da injustiça, do racismo e da discriminação, seja qual for o motivo.

Segundo: Ao povo brasileiro em geral

De todos os países que visitei e de todas as pessoas com quem convivi em minha, duas semanas no início de 2023 foram suficientes para que eu conhecesse a tolerância e a bondade do povo brasileiro e sua reverência pelos valores do amor e da amizade de uma forma que nunca vi antes.

Infelizmente, o que aconteceu comigo recentemente, quando me foi negada a entrada no Brasil com base em alegações moralmente falsas e legalmente infundadas, e seguindo agendas estrangeiras que não são o nacionalismo brasileiro, apoiadas pelas forças que estão tentando reforçar a hegemonia sobre os povos do mundo, é um indicador perigoso de que essas agendas podem encontrar seu caminho entre vocês para estragar sua harmonia, concórdia e tolerância.

Alegar que o motivo da minha recusa em entrar no Brasil é que estou tentando adquirir cidadania brasileira ao dar à luz uma criança aqui são acusações que (embora legalmente absurdas) demonstram um alto nível de racismo e xenofobia em um país fundado por imigrantes! Afinal, sou uma figura pública respeitada na Malásia, um país que amo e no qual vivo há 20 anos, que sempre me acolheu, minha esposa e meus filhos são cidadãos malaios, com passaportes que são a inveja de muitos! Se eu quisesse ficar aqui, teria pelo menos pedido asilo, como milhares de pessoas que vêm para o Brasil, mas me recusei categoricamente a fazê-lo, pois vim legalmente a turismo e para visitar meu irmão, e não violaria as leis de um país que me acolhe e me concede um visto para entrar nele.

Terceiro: Aos ativistas brasileiros que apoiam a causa palestina

O que aconteceu comigo, e o que pode acontecer com qualquer um de vocês, é, sem dúvida, o preço de nossa defesa dos direitos palestinos e de nossa rejeição ao genocídio e aos crimes de guerra praticados pela brutal máquina de ocupação sionista em nossa amada Palestina. Nosso povo sofreu injustiça por longos períodos, mas as forças da injustiça no mundo querem que permaneçamos em silêncio sobre essa injustiça, esses massacres e crimes.

Mas a regra da vida é que a verdade sempre triunfa, portanto, eu os exorto a continuar a luta, não por mim, mas por vocês, pelas centenas de milhares de crianças e mulheres cujo sangue tem sido derramado há décadas, pelas dezenas de milhares de jovens que passam a vida na escuridão das prisões de forma injusta e iníqua, e pelos milhões de pessoas que sofrem opressão e discriminação por causa da gangue que tenta estabelecer a injustiça, a supremacia e o racismo no mundo para atender estritamente a seus interesses pessoais.

Quarto: Aos brasileiros que apoiam a ocupação israelense

Por fim, e de forma incomum para aqueles que estão sujeitos à injustiça a que fui submetido, dirijo minha mensagem àqueles que apoiam a criminosa ocupação israelense da Palestina. Não me dirijo àqueles que conhecem a verdade e se recusam a reconhecê-la por arrogância, mas sei que muitos de vocês defendem o Estado ocupante do ponto de vista religioso. Não entrarei em um debate ideológico, mas tenham certeza de que Jesus, que a paz esteja com ele, jamais consentiria com o derramamento de sangue em seu nome, nem com o reinado da injustiça em seu nome.

Convido todos a lerem mais sobre a questão palestina e a abrirem bem os olhos e o coração, e vocês chegarão à verdade a que os sionistas não querem que cheguem!

Concluindo, essas são mensagens que eu queria transmitir a vocês, e quero que abram seus corações e mentes para a verdade e não se deixem enganar pela propaganda sionista dos EUA e de Israel, e espero que a injustiça cometida contra mim seja revogada, que haja uma retratação pública e que me seja permitido visitar esse belo país que eu amo e cujo povo amo também.

Dr. Muslim Abuumar,

Terça, 25 de junho de 2024

Kuala Lumpur.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.