Mais de 40 estudantes são presos no Texas por defesa da Palestina

Na segunda-feira (29), a polícia norte-americana reprimiu violentamente a manifestação dos estudantes em defesa da Palestina em Austin, no estado do Texas. Os policiais rodoviários estaduais usaram esprei de pimenta e granadas de atordoamento e prenderam ao menos 40 estudantes.

Alguns estudantes resistiram à prisão e foram arrastados pelos policiais, enquanto outros gritavam “vergonha” e jogavam água no ônibus da polícia.

A universidade emitiu um comunicado: “a UT Austin solicitou assistência de reforço do Departamento de Segurança Pública do Texas para proteger a segurança da comunidade do campus e fazer cumprir nossas Regras Institucionais, como a regra que proíbe acampamentos no campus”. Ou seja, a própria reitoria foi quem chamou a repressão.

Mais de 900 manifestantes foram presos em campi dos EUA desde 18 de abril, incluindo mais de 200 em quatro universidades no sábado, segundo o New York Times.

A repressão não acontece só com a polícia. A Universidade de Colúmbia começou a suspender estudantes envolvidos em protestos depois que o prazo para deixar um acampamento no campus da cidade de Nova York expirou às 14h, horário local, na segunda-feira (29). Os estudantes estão se recusando a abandonar o acampamento improvisado, que inclui dezenas de tendas.

“Fomos solicitados a dispersar, mas é contra a vontade dos estudantes”, disse Sueda Polat, uma das organizadoras do protesto, a repórteres. “Não cederemos às pressões da universidade.” Ela acrescentou que o acampamento “não será removido a menos que seja pela força”.